O Inglês como fator de crescimento pessoal, profissional e financeiro.

 

Há diversos casos de clientes que hoje nos procuram pois não foram promovidos para um cargo de alto escalão de uma grande multinacional pois, o inglês não era adequado para a vaga. Tinham inglês intermediário quando o exigido era o proficiente.

Colocado na ponta do lápis, um funcionário corporativo pode perder muitas dezenas senão centenas de milhares de reais por ano por não ter sido promovido. Pior ainda, não ter sido promovida devido a algo que sempre esteve na no topo da lista das prioridades.

Frequentemente dá-se o valor a algo quando o mesmo é impeditivo imediato para a realização de um grande sonho. Seja voltar para o mercado de trabalho ou ser promovido dentro da organização, ter o inglês com fluência e acuidade é um verdadeiro ativo para o sucesso profissional. Portanto, como não se pode resgatar o tempo não investido no aprendizado do inglês, elencamos algumas estratégias que podem ajudar aqueles que pretendem usar o inglês a favor do desenvolvimento profissional no curto e médio prazo.

  • Planeje-se! Crie uma meta de curto, médio e longo prazo e busque uma instituição atualizada e eficiente. Saiba que a época de cursos intermináveis já não existe mais. A Next Move foca em necessidades específicas e pontuais.
  • Estude em inglês! Caso seu nível de inglês seja intermediário ou superior, comece a estudar livros de sua área de atuação profissional em inglês. Os sites estantevirtual.com.br e www.abebooks.com são ótimas alternativas para comprar livros em inglês a um custo reduzido. O primeiro é um site nacional com acervo razoável de livros em inglês, o segundo é um site americano com dezenas de milhares de títulos dos mais variados assuntos.
  • Aceite que não saber é normal! Ao ler em inglês, você irá se deparar com inúmeras palavras e/ou expressões que serão desconhecidas. Nesse caso, tente entender a palavra em seu contexto. Outra alternativa seria utilizar sites como o http://dictionary.cambridge.org/ .

Nesse site você encontrará a definição da palavra e poderá ouvir a pronúncia, tanto em inglês americano quanto britânico.

  • Use e abuse do Netflix! Especialmente programas que tem conexão com o mundo do trabalho como Ted Talk, House, House of cards, etc. Assistir esses programas com a legenda em inglês e anotar as expressões ajuda muito no processo de aprendizagem! Porém, se você não praticar elas serão facilmente esquecidas.
  • Prática! Inglês é como musculação ou qualquer outra atividade de fitness, se você não praticar irá perder. Portanto, converse em inglês pelo menos uma vez por semana com um colega ou profissional do ensino da língua inglesa. Dessa forma você se manterá em forma com o seu inglês.

Portanto, não adie o seu sucesso profissional e crie uma meta factível com o aprendizado do inglês. Em um mundo onde o termo globalização já virou clichê, não ter inglês fluente o coloca à margem de todas as grandes oportunidades profissionais.

Cinco dicas (não milagrosas) para aprender Inglês

Falar inglês é um desafio para a maioria dos brasileiros no mercado de trabalho. Dados otimistas indicam que apenas 5% dos brasileiros falam inglês fluentemente. Ou seja, descontando aqueles que têm conhecimento intermediário ou básico, cerca de 90% da população irá recorrer a gestos,  mímicas, ajuda dos colegas ou até mesmo o google translator para compreender e-mails ou participar de reuniões onde o inglês seja dominante. Ou seja, aprender inglês ainda é um desafio para grande parte da população brasileira.

Não há razão para o desespero! Porém, ter o aprendizado do inglês como meta de médio e longo prazo, alocar tempo e recursos e se dedicar são a melhor estratégia. Há uma série de medidas que podem catalisar o processo de aprendizagem. Basta aplicar técnicas e estratégias comprovadamente eficazes.

5 principais dicas para aprender inglês:

  •  Ingresse em uma instituição idônea ou busque um professor particular qualificado

Estudar em uma instituição que tenha um curso voltado para diálogos usados no dia a dia corporativo é altamente relevante para você, que irá usar o inglês como um “business card” em sua ascensão profissional.

Caso opte por um professor particular, há um sofismo no mercado que é a preferência pelos nativos. Conheço muitos nativos que são excelentes profissionais assim como conheço muitos brasileiros. O que faz um bom professor particular é a sua qualificação na área. Imagine um alemão aprendendo português no Brasil. Será que todo brasileiro seria capaz de ensinar esse empresário alemão a falar português? Ser nativo não é condição sine qua nonpara ser um bom professor. O melhor crivo é a da qualificação na área. Destaco, entre outras o Celta (Certificate of English Teaching for Adults) da Universidade de Cambridge (ou equivalente), o CPE (Certificate of Proficiency in English), da mesma universidade e o FTBE (Further Certificate for Teachers of Business English) da London Chamber of Commerce and Industry. Essa também não é uma regra ortodoxa, há exceções como em todas as áreas, porém, a tendência é que quanto mais qualificado, maiores são as chances de sucesso.

  •  Foque no aprendizado.

Esteja em contato com o idioma sempre que tiver oportunidade, como por exemplo, ouvindo músicas, assistindo filmes, seriados como “the office” e “the apprentice”. Inicialmente, assista com o áudio em inglês e legenda em português. Depois, quando você estiver familiarizado com o contexto, passe a assistir com áudio e legendas em inglês. Anote as expressões em um caderno ou tablet e as estude regularmente. Vale até post it com as expressões coladas no painel do carro (especialmente quando preso no trânsito) ou do laptop em seu escritório.

  •  Fale com o espelho ou grave você mesmo falando.

Converse com você mesmo em frente ao espelho para praticar pronúncias de sons do inglês que não existem em português, por exemplo, o ‘th’ em Thank you. Seria interessante você gravar a sua fala usando aplicativos disponíveis na plataforma android e ios. À medida que você ouvir sua fala em inglês e focar nas áreas de melhoria, com o passar do tempo, você verá a evolução da sua pronuncia. Se a gravação for por vídeo, melhor ainda. Compare a sua fala com a de falantes proficientes da língua. Há uma série de movimentos de lábios, língua e até mesmo expressões faciais quando falamos inglês. Tudo isso ajuda na produção da fala e o entendimento do interlocutor.

  •  Invista em livros, revistas e websites de notícias

Ler livros ou revistas é extremante útil para o aprendizado, principalmente para aquisição de vocabulário. Há livros conhecidos como “graded books” que na verdade são adaptações de filmes ou clássicos da literatura para vários níveis, desde iniciantes ate avançado. Vale frisar que um texto feito para nativos será muito difícil para um não nativo, especialmente se for do nível intermediário ou iniciante. Porém, se o foco for de longo prazo e a dedicação alta, com o passar do tempo você irá se familiarizar com as expressões encontradas em sites como o da BBC, Economist e The guardian.

  •  Encontre um parceiro de aprendizado

Procure praticar com pessoas que também estão aprendendo inglês. Desta forma você se sentirá mais confiante e não terá receio de falar. Acorde com seu colega que ambos poderão corrigir um ao outro caso erros sejam encontrados e que isso é benéfico para o processo de aprendizagem. Além disso, discutam as novas expressões encontradas em filmes ou internet. Isso garantirá uma maior retenção do vocabulário discutido!

Lembre-se que não há caminho milagroso e que não envolva esforço e dedicação. É importante frisar que falar inglês é uma habilidade preciosa em sua carreira profissional, que irá render lucros para você e sua empresa, facilitando promoções e novas posições no mercado de trabalho. Todos que fizeram a escolha de se qualificar através do aprendizado de um novo idioma como o inglês viram novas possibilidades e ganhos financeiros. Falo, inclusive, por experiência própria.

Artigo originalmente publicado no Blog Disal.